Marcelo Cezar

Espiritualidade independente e respeito às diferenças.


2 Comentários

Não perca mais tempo

Várias vezes tenho falado sobre a morte dos entes queridos. A dor da perda é muito mais difícil de superar. Embora a morte faça parte da vida como uma realidade da qual todos estamos sujeitos, a falta de conhecimento, da espiritualidade, a incerteza da sobrevivência e a fantasia têm vestido este acontecimento de tragédia, levando pessoas ao desespero.

À primeira vista pode nos parecer que os mais revoltados sejam aqueles que deparam com a morte inesperada de pessoas queridas em acidentes ou com pouca idade. Entretanto, não é isso que acontece.

Dias atrás fui procurado por uma pessoa aflita pedindo aos espíritos a cura de sua bisavó de 98 anos, que estava mal no hospital, dizendo não poder viver sem ela. Esses casos são comuns

Enquanto alguns que choram compreendem e aceitam que não podem mudar, outros se agarram aos que amam, ignorando o que seria melhor para eles, pretendendo a todo custo manter aquele espírito preso a um corpo envelhecido e doente que não tem mais condições de viver. A vida age de maneira certa e quando chega a hora é preciso compreender, deixar ir, mesmo contra nossa vontade.

O verdadeiro amor não é egoísta. Embora a presença da pessoa amada seja desejável, sua ausência não impede que o sentimento de amor continue fluindo, dando a quem o sente bem-estar, compaixão, vontade de contribuir para que o ser amado esteja bem onde estiver. 

Quem se revolta, quem não aceita o que foi determinado pela vida é porque não deseja perder a muleta. Sim. O apego é uma muleta que muitos chamam de amor mas é apenas o medo de ter que assumir responsabilidade por si. A insegurança e a ideia de que se é fraca e incapaz gera o inconformismo diante da perda de entes queridos, estabelecendo a revolta, a descrença, a mágoa exagerada que pode vir a inutilizar todas as oportunidades de progresso nessa vida e infelicitar outros membros da família.

Todavia, continua desesperada, chorosa. Já se perguntou como estará ele? Que sentimentos guardará em seu coração? Tendo uma nova vida pela frente, como enfrentar os novos desafios sendo chamado instantaneamente na retaguarda? Quem parte tem outras tarefas a realizar no outro mundo.

Você e seus filhos merecem um lar alegre e harmonioso. Precisam de motivação e entusiasmo para viver melhor enquanto você chora um passado que não volta mais, deixa de usufruir o amor, as alegrias e as compensações que eles podem lhe dar. Prove que ama sua família fazendo-os viver em um lugar feliz. Você pode e é capaz. Se Deus tirou sua muleta, é porque você tem condições de viver sem ela. Deixe de bater o pé como uma criança mimada porque não lhe dão o que quer.

O tempo passa depressa. Quando acordar para a felicidade, pode ser tarde demais. Esqueça o passado e faça de seu presente um momento bom. Um dia descobrirá que tudo sempre esteve e está certo como está.